Home / Notícias / Vacinação

Vacinação

RODRIGO EDUARDO DE BORTOLI | CRMV-SP 14.640
Médico Veterinário

Assim como nos seres humanos a vacinação de pets é de suma importância para uma vida saudável e prolongada.
Os protocolos vacinais podem variar de profissional para profissional de acordo com o órgão regulador que ele siga, porém, existem diretrizes, conselhos e órgãos mundiais que regulamentam, pesquisam e orientam os profissionais para a realização da mesma.
As vacinas tem como princípio imunizar e evitar assim que os animais contraiam determinados tipos de doenças, normalmente infecto-contagiosas, que podem trazer sérios danos à saúde de seus pets, podendo inclusive levá-los à óbito.
São anos e anos afim de pesquisas e trabalhos criteriosos e minuciosos para o desenvolvimento das “cepas vacinais”, de tamanha importância na prevenção dessas doenças. Muitos milhares de reais e de dólares envolvidos nisso tudo.
Portanto, o ato em si da vacinação, é muito mais do que uma “simples” aplicação de injeção, requer um profissional capacitado e conhecedor das particularidades e cuidados à serem tomados, tanto na avaliação do paciente pré vacinal, como na manipulação da vacina: preparo, armazenamento, e pôr fim a aplicação.
Muitos problemas relacionados às falhas vacinais não estão ligados a qualidade da vacina em si, porém, em seu mal armazenamento, uso de seringa errada, erro no preparo, vacinação em animal debilitado ou convalescente, etc. Esses fatores correspondem a mais de 90% das falhas vacinais.

A qualidade das vacinas é outro fator muito importante. Dê sempre preferência às vacinas importadas de laboratórios sérios e reconhecidos.
Os filhotes devem iniciar o protocolo vacinal entre 50-60 dias de vida, após estarem vermifugados. É imprescindível uma avaliação criteriosa do paciente antes da realização da vacina: aferição de temperatura corpórea, coloração de mucosa, disposição do animal, presença de ecto e endoparasitas, são alguns dos fatores a serem analisados.
É muito importante que a vacina seja feita por um Médico Veterinário formado e devidamente inscrito sob o CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) de seu estado ou por um técnico em Medicina Veterinária.
Não entregue seu pet a qualquer pessoa que diz “saber aplicar vacina”. A qualidade da vacina e a proteção que ela proporciona, está intimamente ligada aos cuidados tomados na vacinação, afinal, não entregaríamos nossos filhos humanos a pessoas que não são capacitadas, o mesmo ocorre com nossos filhos pets.
Siga-nos no Instagram e deixe lá sua dúvida ou sugestão de matéria para as demais edições: @clinvetibira

Sobre Flavio Camilo

Verifique também

Irapuã recebe respirador eletrônico do Governo de SP

Irapuã recebeu um respirador eletrônico enviado pelo Governo do Estado de São Paulo para atendimento …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: