Home / Notícias / Sequelas emocionais. Você tem?

Sequelas emocionais. Você tem?

MONIQUE GISELE GASQUI | CRP 108849/06
Pós graduada em Psicologia Clínica: Terapia Cognitivo Comportamental | Pós graduada em Psicologia da Saúde/Hospitalar

Todos nós sabemos que viver é correr perigos e espera-se que 90% da população mundial já tenha sofrido um evento altamente traumático ao longo da vida. O problema está entre o estresse e o trauma que está na base de muitos transtornos psicológicos.
O que pode gerar trauma para um, pode não gerar em outro e é importante dizer também que cada pessoa tem um limite diferente frente a um evento, certo?
O termo “trauma” significa “ferida”, e em Psicologia compreende-se o trauma como algo que tem origem num acontecimento externo, mas que apresenta repercussão em nível interno, que é o nível do funcionamento psíquico. Portanto o acesso a memória traumática se dá por meio de situações que façam o indivíduo reviver qualquer um dos sentimentos relacionados a ela e isto acaba configurando uma série de gatilhos que culminam na angustiante sensação de volta a experiência do trauma.
O acontecimento traumático foi definido como algo que ultrapassa a usual experiência humana. A maioria das pessoas consideram que trauma é algo gerado por situações onde a vida de alguém esta ameaçada, como num acidente de carro, um assalto, violência sexual, morte de alguém querido, crises de pânico e ansiedade, mas por incrível que pareça, os maiores traumas são causados pelas pessoas que amamos, como, nossos pais, maridos, esposas, amigos e parentes.
Traumas psicológicos são sequelas emocionais, deixadas por uma experiência que causou imensa dor e sofrimento ao traumatizado, e é de tal intensidade que afetam profundamente o comportamento, pensamento e sentimento do indivíduo.
São vários os sintomas de traumas psicológicos: revivência do trauma nos sonhos ou nos pensamentos durante o momento em que a pessoa encontra-se acordada; evitar situações que possam lembrar o evento traumático; estado de agitação constante e sustos exagerados por motivos banais; dificuldades em dormir; irritabilidade ou surtos de raiva; isolamento ou afastamento do convívio social; hipervigilância e desinteresse pelo próprio futuro, além de muitos outros, que isso tudo consequentemente nada mais é que o Estresse Pós- Traumático do trauma vivenciado propriamente dito.

Procure ajuda psicológica quando:

  • Estiver tendo problemas funcionais em casa ou no trabalho;
  • Sofrer com medos, ansiedade ou depressão;
  • Percebe-se incapaz de formar relacionamentos próximos e satisfatórios;
  • Quando se passa por terríveis lembranças, pesadelos ou flashbacks;
  • Quando se evita coisas, lugares ou pessoas que o fazem lembrar do trauma;
  • Esta emocionalmente dormente e distante dos outros;
  • Esta usando álcool ou drogas para se sentir melhor.
    Após um trauma, o isolamento não é a melhor maneira, mas, estar frente a outras pessoas pode ajudar, portanto se esforce para manter seus relacionamentos e evite ficar muito tempo sozinho.
    Com ajuda de psicoterapia e tratamento medicamentoso, mostram ótimos resultados no tratamento de traumas, pois compreende e ressignifica as experiências traumáticas.
    Optar por não realizar um tratamento adequado pode fazer com que a pessoa tenha dificuldades nos relacionamentos interpessoais por toda a vida, portanto busque ajuda de um Psicólogo para o seu tratamento, pois só ele pode desenvolver mecanismos de manejo das crises, na ressocialização e dessensibilização das coisas que lembram o trauma.

Sobre Flavio Camilo

Verifique também

Prefeitura realiza Festa Junina no Centro de Convivência do Idoso

A Prefeitura Municipal de Ibirá por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Promoção Social …

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: