Home / Notícias / Padre de Sales nomeia mais três Acólitos

Padre de Sales nomeia mais três Acólitos

IMG-20160516-WA0016 netJovens da paróquia São Benedito receberam neste domingo, 15, a nomeação e as vestes próprias para servirem à Igreja através da Pastoral dos Acólitos.
O rito aconteceu durante a Santa Missa das 19h30 celebrada pelo pároco padre Felício Donizeti Anuncio, que destacou “esses jovens são corajosos”, pois segundo ele não é fácil ser jovem de Deus nos dias de hoje. O celebrante disse aos novos acólitos: “vocês não estão perdendo tempo, mas ganhando em Deus”.
Ao total foram 3 novos membros: Gregori Nardachioni Farinelli, Arthur Francisco Cotrim e João Marcos Aparecido Teixeira, que se tornaram acólitos e fizeram o juramento de servirem Altar do Senhor com zelo e amor e, os que já eram nomeados fizerem a renovação do mesmo compromisso.
Com as novas nomeações, a paróquia São Benedito passa a ter 10 acólitos e cerca de 30 coroinhas. “É daqui que queremos que saia vocações para o matrimônio e sacerdotal”, ressaltou o pároco.
Acólitos e Ancilas
A palavra ACÓLITO vem do grego, através do latim acoly-thu, que significa acompanhador, ou seja, o que acompanha e ajuda o sacerdote na celebração da Santa Missa e nos ministérios do altar. ANCILA, do latim ancilla, significa escrava, serva. Foi como Maria se intitulou na anunciação, falando com o Arcanjo Gabriel: “Ecce ancilla domini” (Eis aqui a serva do Senhor) (Lc 1,38).
O ministério de acólito remonta aos primórdios da Igreja. Uma carta do Papa São Cornélio a Fábio de Antioquia, escrita no ano 251, testemunha que, em Roma, nessa altura, o Papa tinha reunidos à sua volta 46 presbíteros, 7 diáconos, 7 subdiáconos, 42 acólitos e 52 exorcistas, leitores e porteiros.
Uma outra carta, do final do século IV, do Papa S. Siríaco a Himerode Tarragona, dá-nos conta do acolitato como um serviço generalizado nas comunidades cristãs.
Coroinhas – Antigamente, o serviço do altar na Santa Missa era feito pelos “meninos do coro”: meninos adolescentes que participavam do coro das igrejas, daí o termo “coroinha”; eles recitavam as orações e acompanhavam o sacerdote nas funções litúrgicas (cantar, servir ao altar…). Quando a Missa era rezada em latim, por exemplo, o povo não respondia às orações, apenas o coroinha é que recitava as respostas.
Hoje, porém, o termo ACÓ-LITO, ao invés de coroi-nha, vem sendo mais utilizado, por ser mais abrangente e exato.

Sobre avpgraficaejornal

Verifique também

Projetos da Lei Aldir Blanc são iniciadas em Ibirá

Arte e conhecimento estão em cartaz em Ibirá, são os projetos da Lei Aldir Blanc …

%d blogueiros gostam disto: