Home / Notícias / Maio: Mês de Luta, Afeto e Esperança

Maio: Mês de Luta, Afeto e Esperança

Jornal 2 netALISON PAULO DA SILVA
Professor especialista em Gestão Educacional e Gestão de Políticas Públicas

 

 
O mês de maio iniciou-se e com ele importantes comemorações e manifestações em prol da conscientização social.
O dia do trabalho, por exemplo, é comemorado em 1º de Maio. No Brasil e em vários países do mundo é um feriado nacional, dedicado a festas, manifestações, passeatas, exposições e eventos reinvidicatórios. Nesta data temos que refletir até que ponto nosso trabalhador vem sendo valorizado.
O trabalhador Brasileiro traz em sua história o sangue da exploração trabalhista, do escravismo desenfreado e da falta de garantias mínimas de sobrevivência. Enquanto alguns poucos roubam o Brasil, a classe trabalhadora se espreme para continuar de pé e garantir o pão de cada dia.
O mês de maio também homenageia as Mães. Esta tão singela e preciosa pérola que todos no mundo têm, mesmo que em boas lembranças. Como não lembrar dos doces abraços e dos suaves beijos de mãe? Mas, como ficar totalmente feliz sabendo que muitas mães hoje morrem em meio a guerra civil, como na Síria e no Iraque? Morrem em postos de saúde na busca incansável pelo tão esperado tratamento do Câncer de Mama? Morrem esperando que o filho seja curado pelo vício do álcool, drogas ou de doenças graves?
Lola Sanchez (Boliviana) é mãe de Araceli Cabrera Sanches Crespo, de 9 anos, assinada violentamente em 18 de Maio de 1973 no estado do Espírito Santo. Seu corpo foi encontrado somente seis dias depois, desfigurado por ácido e com marcas de extrema violência e abuso sexual.
Maio traz a lembrança de uma filha estudiosa e delicada a senhora Lola Sanchez, mas também traz a esperança do dia 18 de Maio, onde se concretizou o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Brasil. Neste dia vários movimentos são realizados na cidade, mas o importante é a denuncia as autoridades competentes de exploradores e covardes que abusam de nossas crianças e adolescente para que não fiquem na impunidade, como no caso de Araceli.
Que o mês de maio possa trazer em nossas vidas mais conscientização, amor e transformação, pois somos nós que precisamos assumir uma postura ética, moral e crítica a fim de provocar mudanças que tanto desejamos em uma sociedade estruturada na desigualdade.

Sobre avpgraficaejornal

Verifique também

Projetos da Lei Aldir Blanc são iniciadas em Ibirá

Arte e conhecimento estão em cartaz em Ibirá, são os projetos da Lei Aldir Blanc …

%d blogueiros gostam disto: