Home / Notícias / Charles inicia pagamento de dívida herdada da administração de Ni Baiano

Charles inicia pagamento de dívida herdada da administração de Ni Baiano

DSCN4806 netO início do ano de 2016 está sendo doloroso para o prefeito de Sales, Charles Cesar Nardachioni (PT). Ele ficou surpreso, no final do ano passado, com a chegada de cobrança a prefeitura a devolver mais de R$ 800 mil, referentes a convênios firmados pelo ex-prefeito Genivaldo Chaves, o Ni Baiano (DEM), e tiveram irregularidades.
Entre os convênios apontados como irregulares estão três firmados pelo ex-prefeito para receber o dinheiro do Governo do Estado. Um deles refere-se ao plantio de grama e colocação de lajotas no Centro de Lazer do Richilieu, bem como a troca de objeto sem aviso na execução de recapeamento asfáltico na cidade.
Para Charles, o prejuízo na conta da prefeitura chega em péssimo momento e traz muita tristeza e insatisfação. “Com certeza estou muito triste e chateado, pois este dinheiro certamente seria todo revertido em saúde, educação e em obras públicas que iriam beneficiar diretamente a nossa população”, afirmou. “A cada realização de obra pública, é necessário prudência e fiscalização enérgica para que não haja situações como estas, que prejudicam a população salense. Este ocorrido se deu pela falta de zelo e responsabilidade do trato do dinheiro público. Devemos tratar o dinheiro público melhor que tratamos o particular”.
De acordo com a Procuradora Geral Katia Regina Torres de Menezes, a prefeitura não tem mais como recorrer da dívida. E o montante deve ser ressarcido ao Governo Estadual, com recursos próprios do município. A prefeitura já tratou de negociar o parcelamento do débito afim de minimizar os danos que essa devolução trará a população. “A má gestão dos convênios, pela administração anterior prejudica muito o município, já que seremos obrigados a devolver esse dinheiro em um momento em que todas as prefeituras enfrentam dificuldades financeiras“, afirma a procuradora. “Já pedimos o parcelamento e estamos agindo para que os responsáveis devolvam esse dinheiro aos cofres públicos e à população de Sales, tendo em vista que a gestão passada deixou de cumprir com os termos ajustados, obrigando o município a devolver o dinheiro. Já pedimos o parcelamento do débito e vamos tomar medidas para que os responsáveis reembolsem os cofres públicos, haja vista que estes valores farão falta a população de Sales”.
Entenda o caso
Durante a gestão do ex-prefeito Genivaldo de Brito Chaves, o Ni Baiano, o município firmou três convênios para receber do Governo Estadual verbas para realizar obras no município. A execução destas obras apresentam irregularidades o que causou a rescisão dos contratos e a obrigação do município de devolver, corrigido, o valor que recebeu através destes contratos.
O primeiro convênio, de nº 984/2008, no valor de R$ 200 mil destinava-se à pavimentação das ruas do Centro de Lazer Praia do Richilieu com lajotas, além da instalação de guias e sarjetas. O município será obrigado a devolver o valor total de R$ 820.031,90, ainda sujeito a juros e correções, referente às irregularidades das obras executadas nos anos de 2008 e 2010.
O convênio, de nº 925/2008, no valor original de R$ 300 mil, liberava verba para  recapeamento asfáltico em  algumas ruas de Sa-les. Irregularidades apontadas pelo órgão fiscalizador do convênio, ocasionaram a rescisão deste contrato e a devolução do valor atualizado que perfaz, aproximadamente, meio milhão de reais.
O terceiro caso, o convênio nº  1642/2010 destinava R$ 100 mil para pavimentação com Lajotas e plantio de grama, no Centro de Lazer Praia do Richilieu. Em razão das irregularidades, o município devolverá R$ 137.867,45.
O ex-prefeito Ni Baiano não foi localizado para comentar sobre o assunto.

Matéria reproduzida do Jornal Regional “Folha do Povo”, Ano 19, N.º 516, de 28 de Janeiro de 2016, Página 5, Jornalista Responsável: Nelson Gonçalves

Sobre avpgraficaejornal

Verifique também

Ibirá registra zero casos de Covid e traz de volta a esperança

Esperamos muito por este momento, todos unidos em orações, cada um se esforçando para que …

%d blogueiros gostam disto: